Falange Resenha | Friday the 13th: The Game

0
87

Mãe SerpenteA última experiência que Jason teve com videogames foi em 1989, no NES. E não é à toa, já que esse Friday the 13th é considerado um dos piores jogos já feitos. Friday the 13th: The Game, tenta, 28 anos depois, recuperar o glamour de um dos assassinos mais famosos do cinema. Em grande parte, o jogo consegue atingir seu objetivo. Entretanto, a experiência é constantemente interrompida por bugs e escolhas de design contrárias às necessidades de um bom multiplayer online.

Das telonas pro controle

As adaptações de filmes para videogames não tem um histórico de muitos acertos. Jogos eletrônicos ainda são vistos como peças de marketing por grandes estúdios, e o resultado final normalmente é um produto medíocre, barato de produzir, e que pode aumentar um pouco a margem de lucros no momento de lançamento de um filme. Friday the 13th: The Game, felizmente, não sofre com esse problema. Primeiro porque a franquia está morta nos cinemas depois de uma tentativa fracassada de reboot em 2009. Segundo porque quem produziu o jogo é uma equipe independente. Ou seja, Friday the 13th: The Game não é um anúncio interativo, é realmente um jogo, criado com a intenção de captar a essência dos filmes originais.

A liberdade criativa da equipe também foi possibilitada pelo sucesso da campanha de Kickstarter, que financiou o jogo de forma coletiva, sem a necessidade de grandes investidores que pudessem exigir caminhos diferentes para a produção. O resultado é exatamente como esperado. O jogo está lotado de referências à franquia dos cinemas, desde a cabeça decepada de Pamela Voorhees até a presença de Tommy Jarvis. Os cenários e itens utilizados são retirados direto dos filmes. E mesmo as habilidades das personagens derivam do cinema.

Friday the 13th the game jason
Jasons diferentes podem ter a capacidade de correr ou não, e utilizam armas diversas. Cada Jason disponível se inspira em um dos filmes.

Como um dos sete Conselheiros presos no acampamento, é necessário fugir de Jason. Para isso, deve-se vasculhar as cabanas em busca de pequenas armas. Como um canivete, possível de facilitar uma fuga ao ser enterrado no pescoço de Jason. Ou bombinhas que podem ser acendidas para atordoar o assassino temporariamente. Quanto mais assustados ficam os Conselheiros, mais provável é que a personagem tropece, atrasando sua fuga. Jason, por sua vez, tem dezenas de finalizações possíveis, relembrando as mortes mais clássicas das décadas de 80 e 90. A música conta com as composições originais, e mesmo os gráficos simulam televisões antigas, com ruídos que surgem em determinados momentos do jogo.

Friday the 13th the game jason
Todo mundo sabe o que acontece em seguida…

Disputa assimétrica

Friday the 13th: The Game, gira em torno de uma disputa online assimétrica, em que sete jogadores têm a missão de sobreviver à noite, enquanto um oitavo controla o assassino Jason. Cada partida tem duração máxima de 20 minutos, e uma das formas de um Conselheiro sair vitorioso é permanecer vivo durante todo esse tempo. É possível também encontrar peças e combustível para consertar um barco, ou um carro, e utilizar veículos para escapar. Utilizar o telefone para chamar a polícia também garante uma rota de fuga a pé, depois de cinco minutos. Há ainda uma pequena chance de matar definitivamente Jason, se uma série de ações específicas for realizada. Essas ações incluem a presença de Tommy Jarvis, um personagem especial controlado por um dos jogadores mortos ou que conseguiram escapar, e que é convocado por um rádio.

Friday the 13th the game jason
Os Conselheiros disponíveis são baseados em estereótipos dos filmes de terro: A Gótica, a Nerd, O Esportista, o Filhinho de Papai…

Apesar da ampla disponibilidade de estratégias, e de armas espalhadas pelo lugar garantirem que Jason fique pelo menos temporariamente atordoado, sobreviver não é tarefa fácil. Basta que o assassino agarre um jogador para matá-lo da forma mais brutal possível. Jason também atira facas, destrói veículos, derruba portas, quebra geradores de energia e coloca armadilhas pelo chão. Outras habilidades permitem que ele se teleporte para qualquer lugar do mapa, permaneça invisível por algum tempo, e utilize uma visão especial para encontrar Conselheiros escondidos debaixo de camas ou dentro de armários. Jason também é virtualmente imortal, o que permite que o assassino utilize todos os 20 minutos disponíveis para caçar os adolescentes desesperados.

Friday the 13th the game jason
Casas em que Conselheiros se escondem mudam de cor quando a visão especial de Jason é ativada.

As ações realizadas dentro das partidas, independente de vitória ou derrota, garantem pontos de experiência e níveis para o jogador. Com o avanço de níveis, novos Conselheiros e novas versões de Jason se tornam disponíveis. Cada personagem tem vantagens e desvantagens específicas. A experiência acumulada também serve para desbloquear finalizações para Jason, e habilidades que dão uma chance maior de sobrevivência para os Conselheiros. É aí que começa um dos primeiros problemas de Friday the 13th: The Game.

Na maior parte do tempo, o jogador tem acesso apenas a Conselheiros. E basta que o azar force o jogador a cruzar o caminho de Jason para que ele morra em poucos minutos. Depois disso é necessário esperar o restante da partida acabar ou todos os sobreviventes morrerem para coletar os pontos de experiência já adquiridos. Sair de maneira manual indica a não conclusão da partida. Esse é um aspecto extremamente negativo para um jogo online, principalmente no início da experiência, quando o desconhecimento das mecânicas garantem mortes mais rápidas. A cada partida, existe uma probabilidade grande demais de que o jogador permaneça a maior parte do tempo apenas assistindo ao jogo, ao invés de participar de forma ativa. Apesar de não ser o único dos problemas de Friday the 13th: The Game, esse é um dos mais graves, já que representa uma escolha de design, e não um bug a ser corrigido.

Servidores e problemas

Desde seu lançamento, há exatamente duas semanas, Friday the 13th: The Game já recebeu diversas atualizações. Isso mostra uma preocupação dos desenvolvedores em consertar falhas. Mas também serve de comprovação para a imensa quantidade de problemas na versão inicial. Os servidores muitas vezes são lentos, e demoram para conectar o jogador. A resposta dos comandos, o ping, também é afetada pela instabilidade. Existem glitchs gráficos que prejudicam a imersão, e mesmo modificam completamente a partida, como portas que se tornam transparentes ou personagens que começam a flutuar.

A falta de suporte offline prejudica ainda mais a experiência, já que, em momentos de sobrecarga dos servidores, não é possível iniciar uma partida com bots. A falta de bots também impede o jogador de aprender a utilizar as habilidades das personagens antes de competir com outros jogadores. Isso é extremamente irritante no caso de Jason. Como a chance de ser sorteado par utilizar o assassino é pequena, ter que aprender a controlar todos seus poderes no meio de uma partida é uma óbvia desvantagem. E como provavelmente será necessário mais de uma hora para jogar com o assassino de novo, se torna um incômodo não poder ter acesso a algum tipo área de testes.

Friday the 13th the game jason gif
Todo mundo deveria poder fazer isso sem depender de sorte de estar com o personagem certo…

A longo prazo, a falta de bots pode garantir a morte do jogo, com a queda natural da participação da comunidade. Há uma versão offline planejada, ainda para os próximos meses. Mas essa versão só indica a existência de missões específicas, em que se controla apenas Jason, e não simula a experiência central de Friday the 13th: The Game. Novas atualizações chegam a cada poucos dias, e fica a esperança de que partidas offline se tornem possíveis. Ou mesmo uma seção somente de exploração, sem ganho de experiência, somente para que todos os jogadores pudessem ter o prazer de experimentar todas as finalizações diferentes.

Friday the 13th: The Game tem um enorme potencial, que algumas vezes se esconde atrás dos problemas técnicos e das escolhas de design iniciais do jogo. Felizmente, os desenvolvedores se mostram receptivos a críticas e sugestões, e é possível que boa parte desses inconvenientes deixe de existir ao longo das próximas semanas. Pelo menos a Mãe permanece na torcida para que isso aconteça.

Gameplay da Mãe | Friday the 13th: The Game

Para quem acompanha nosso canal no YouTube, a Mãe já publicou um vídeo com os primeiros quinze minutos de Friday the 13th: The Game. No vídeo, é possível entender melhor como funcionam as mecânicas do jogo, e visualizar alguns de seus problemas principais.