Falange Resenha | A Múmia (2017)

0
239

E aí, minhas sementinhas queridas❤.*Eu ia dizer para adivinharem o que seria hoje, mas está no título… deixa pra lá*. Após tantas notícias sobre trailers, imagens do set e jogadas publicitárias, finalmente o filme A Múmia saiu e eu assisti! Mas Adelfa… Como foi!?

A Múmia

Bem, posso dizer que não me decepcionei com o filme em nenhum aspecto, mas talvez isso tenha acontecido por também não elevar minhas expectativas em relação a ele. Creio que o que o filme tinha como proposta ele fez. Tem filmes cujos os trailers são uma coisa e o filme em si outra, mas posso dizer que não foi o caso de A Múmia.

O roteiro é simples, sem muito onde errar. Uma rainha apagada da história devido ao grande mal que faz, volta dos mortos para completar sua maldição e ter todo o poder que deseja. Ela foi libertada por um agente de reconhecimento que, após isso, torna-se seu escolhido para completar o ritual. O que não quer dizer que o filme seja ruim, pelo contrário, ele diverte e te prende de certa forma. Praticamente como as coisas que costumam dar certo.

A Múmia é Terror?!

Depende… Eu, por exemplo, sou super medrosa. As cenas de jumpscare eram completamente previsíveis, mas ainda pulava na cadeira. Achei menos suspense do que o filme de 1999, mas alguns sustos são válidos. Diferente dos outros filmes (e quando digo isso me refiro apenas aos dois primeiros, o terceiro não se encaixa), A Múmia se passa a maior parte do filme na Inglaterra, e não no Egito. Então é visível a diferença na fotografia mais cinza do que amarelada, como nos anteriores. Mesmo com esse tipo de fotografia mais escura em diversas partes, o suspense não ficou tão eminente assim, apenas as partes de ação… Aliás, falando em ação… Algo que me deixou contorcendo na cadeira foram as crias de Ahmanet, os mortos-vivos. E eu tenho problemas com esses troços podres que querem morder as pessoas, eca, eca, eca. Mas calma, isso é apenas por causa da minha relação negativa com eles; na verdade, algumas partes nas quais eles aparecem acabam criando uma situação cômica.

A Múmia

E aí entramos em outro ponto…

O filme é aventura, suspense, terror e comédia, em teoria. Muita coisa num filme só, não é?! Bem, discordo um pouco do suspense, pois me escapou. Terror, ok, eu dei uns bons pulos, aventura, com certeza! Comédia… Então, eu realmente ri com o filme. Tem partes engraçadas, o protagonista é cômico em diversas situações que, para mim, não ficaram tão forçadas. As partes engraçadas, em maior parte, ocorrem no meio de algum diálogo entre o protagonista e algum outro personagem numa situação complicada. Apesar das tiradas serem Ok, acho que o problema não foi o roteiro, o problema é o Tom Cruise fazendo piada (até porque Brendan Fraser é bem mais engraçado e provavelmente fiquei mal acostumada com ele no primeiro A Múmia). Resumindo, é possível não rir nesse filme? É super possível, mas precisa estar de mal humor e de coraçãozinho frio, creio que em pelo menos uma situação você dê um sorrisinho.

Ao lado de Nick (Tom Cruise) está o sargento Vail (Jake Johnson), amigos de missão. Boa parte das possíveis risadas no filme tem o personagem de Vail no meio.

Além disso, temos novamente o que seria um triângulo amoroso no filme. Porém dessa vez, entre a Múmia (Ahmanet), que escolhe Nick para cumprir o restante da maldição e a Jenny (arqueóloga que explora, com a ajuda de Nick, o sarcófago) tá nesse meio. Obviamente, essa é apenas um das várias referências que existe nesse filme das obras anteriores. Não só como referência, mas esse romance não tem nada de muito diferente do filme de 99, não é algo inesperado nem algo que diminua a qualidade do enredo do filme.

E os personagens?

Parte delicada… Mas vamos. Se eu disser que o meu personagem favorito do filme não é nenhum dos principais desse triângulo amoroso, acredita? Pois bem, meu personagem favorito (que por sinal é um dos pontos mais importantes desse filme), foi o Dr. Henry Jekyll (baseado no livro O Médico e o Monstro, escrito por Robert Louis Stevenson). CARA, Russell Crowe simplesmente brilhou, ponto. Ele fazendo papel do carinha mal é muito bom! (Inclusive, adoro ele em Os Miseráveis também). Mas agora… Por que ele seria tão importante assim?

Bem, ele é uma figura importante, pois a organização que é apresentada no filme A Múmia, sendo ele o dono dessa empresa, provavelmente será a ponte entre os próximos filmes desse novo universo de monstros. Ok, Adelfa, saquei o lance, porém, pra quê uma ponte entre os filmes? Digo ponte, porque essa ligação de um personagem a outro poderá resultar num futuro crossover (bem estratégias dos filmes da Marvel), além de estruturar uma nova franquia e construir um porquê para um novo universo. Essa organização terá uma forte influência nos próximos reboots, com certeza. Contudo, A Múmia, para mim, foi um ponto de partida um pouco fraco para sustentar o inicio de todo um universo com tantos outros personagens interessantes.

A Múmia

Claro, não posso deixar de falar da senhora Múmia. O que posso dizer é: Sofia Boutella foi demais no papel. Não posso deixar de ressaltar, porém, os pontos negativos, mas creio que boa parte deles foi problema de direção e não atuação. Alguns planos não ajudaram muito no contexto em que a personagem estava, mas a atuação dela foi boa, sim. Algo que gostei, principalmente, foi a postura da personagem que, apesar de feminina, não é o tempo todo sensual. Se tem algo que me irrita é que, não importa se é um monstro ou uma fada, se for uma personagem feminina, tem que ser sexy o tempo todo. Obviamente que existem partes do filme em que esse lado da personagem é mostrado, mas fica na dosagem certa para a construção da Múmia.

A Múmia

Também tem o problema das escolhas de personagens de origem egípcia. Não somente nesse filme, mais como também em Deuses do Egito, não tem diversidade étnica no elenco. Estranhamente, nos filmes, os egípcios são todos brancos… Há incoerência aí.

Nesse meio todo, a Jenny Halsey (Annabelle Wallace) quase some, mesmo a personagem sendo uma peça que move o enredo. Bem, acho que é isso…

ESPERA AÍ, ADELFA! E o Tom Cruise?

Tom Cruise é Tom Cruise. É isso aí. O personagem fez bem o papel de Tom Cruise, relaxa.
Por sinal… Nunca vi ele apanhar tanto num filme só.

A Múmia

Bom, e o que eu acho? Merece o Selinho Sessão da Tarde?

Ah! Acho que até mesmo no Domingo Maior tenha seu lugarzinho. O filme é divertido e pensado num público genérico, não é voltado apenas para os amantes dos monstros da Universal. E se vale a pena ir no cinema ver… Vale se você gostar de filmes de aventura no cinema naquele 3D amigo. E digo mais: recomendo que assista os dois primeiros antes desse, provavelmente vai pegar várias referências nesse A Múmia, que são voltadas aos filmes anteriores.

Bem, é isso, sementinhas. Agora fica com vocês a questão: será que esse novo universo de monstros vai colar? Não sei, espero. Até porque está na lista meu tão querido Fantasma da Ópera . Só de extra, vou deixar para vocês um vídeo dos atores e da produção de A Múmia falando dos monstros e dos filmes antigos, caso queiram assistir. :3

Beijinhos perfumados, abraços espinhosos e um tropeço numa raiz pra vocês E nada de sair abrindo sarcófagos alheios, vai que você esbarra com uma rainha egípcia querendo te transformar no deus da morte, né?! Nunca se sabe.