Falange de Férias | Melhores Falange Indie ’16

0
131

A coluna Falange Indie foi criada pela Mãe Serpente para prestigiar os jogos que, apesar de serem produzidos por uma equipe pequena e com baixo financiamento, são exemplos de excelência da indústria. No fim da retrospectiva da Falange em 2016, é hora de apresentar as edições mais acessadas da coluna.

Terceiro Lugar

O estúdio Supergiant é um dos queridinhos da Mãe, e é mencionado em diversos outros textos. O primeiro jogo do estúdio, Bastion (2011), é consagrado por todos seus elementos, desde a jogabilidade até a trilha sonora original. Não é à toa que essa edição do Falange Indie atraiu tanta atenção. Não deixe de prestigiar esse clássico. Clique na imagem e vá para o texto.

Falange Indie #6 | Bastion

 

Segundo Lugar

A primeira edição da coluna já atrai muita atenção. Her Story (Sam Barlow, 2015) é um jogo narrativo, que mistura interação e cenas gravadas com atores reais, para construir uma narrativa inédita para os jogos eletrônicos. Esse foi, também, o primeiro jogo sorteado pela Falange. Ficou curioso? Clique na imagem e vá para o texto.

Falange Indie #1 | Her Story

Primeiro Lugar

O primeiro lugar do pódio é também o jogo com a narrativa mais impactante. Embora excelentes jogos já tenham passado pela coluna, é Brothers – A Tale of Two Sons (Starbreeze Studios, 2013) que ficou conhecido mundialmente por ser capaz de emocionar todos seus jogadores, e causar lágrimas, mesmo sem nenhuma palavra, escrita ou falada. E isso sem contar com sua mecânica inovadora, de controle simultâneo de duas personagens. Quer saber mais sobre o jogo? Clique na imagem e vá para o texto.

Falange Indie #3 | Brothers – A Tale of Two Sons