The Game Awards 2017 | A maior premiação de jogos do ano

0

Vinheta da Mãe SerpenteTodo ano, existem inúmeras premiações de videogames ao redor do mundo. Bem como existem inúmeras premiações de cinema. Mas da mesma forma que o grande público só presta atenção no Oscar, o The Game Awards se tornou a premiação mais significativa dos jogos eletrônicos. A edição desse ano, The Game Awards 2017, é representativa do que o desenvolvimento e consumo de jogos foi nos últimos doze meses: quase todas as categorias da premiação têm pelo menos um título indie. E mais, grandes produções lançadas em 2017, desenvolvidas pelos maiores estúdios e distribuidoras da área, não são citadas nenhuma vez. Essa, provavelmente, será cada vez mais a cara dos videogames no futuro, e até mesmo empresas consolidadas tentam investir cada vez mais em parcerias com pequenos estúdios.

Não é à toa que jogos independentes ganham cada vez mais atenção no mercado. Ao invés de repetir fórmulas já testadas, o desenvolvimento independente aposta na inovação para ganhar destaque. Além disso, muito títulos indie são desenvolvidos em contato direto com a comunidade, podendo entender o perfil de seus jogadores antes do lançamento oficial, e assim entregar um produto final muito mais polido. Já os grandes desenvolvedores, ao contrário, inserem microtransações abusivas, prolongam de forma artificial a duração de seu jogo e ainda cobram caro por um produto cada vez mais fragmentado pela estratégia de criar DLCs abusivas, que custam muito e entregam pouco.

Os Game Awards 2017 serão transmitidos ao vivo daqui a pouco, às 23h30, horário de Brasília. Antes do evento, no entanto, a Mãe queria comentar cada categoria, e fazer suas apostas quanto ao vencedor. Assim que forem anunciados, os vencedores de cada categoria também serão atualizados logo abaixo.

The Game Awards 2017 | Jogo do ano (Game of the Year)

O principal prêmio da noite premia o jogo que alcançou excelência em todos seus aspectos, e por isso deve ser considerado o melhor do ano. Apenas ser indicado para essa categoria significa reconhecimento, por parte de críticos e por parte de jogadores. Apesar de variados em relação aos gêneros, os indicados de 2017 representam a situação atual da indústria de videogames: dois dos cinco jogos são exclusivos do PlayStation, Persona 5 e Horizon Zero Dawn; outros dois exclusivos do Switch, The Legend of Zelda: Breath of the Wild e Super Mario Odyssey. Se a Sony dominou o mercado de consoles nos últimos anos, a Nintendo mostrou com o Switch que ainda há espaço para a competição acirrada entre as grandes empresas, uma competição que tende a beneficiar o jogador, na medida em que novos recursos são desenvolvidos, e a qualidade dos jogos é cada vez maior. O quinto indicado é o jogo independente PlayerUnknown’s Battlegrounds, o novo fenômeno do multiplayer online.

O prêmio de Jogo do Ano costuma ser dado a um jogo que mobilizou uma imensa base de fãs, e que conseguiu inovar, de alguma forma, o gênero em que se enquadra. É difícil imaginar um resultado que não seja favorável à Nintendo, já que duas das franquias mais antigas e queridas do mundo todo lançaram os seus melhores títulos em muitos anos. A aposta da Mãe é em Breath of the Wild, mas um resultado favorável a Super Mario Odyssey não seria nenhuma surpresa.

Jogos indicados:

  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo EPD/Nintendo)
  • PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG Corp.)
  • Persona 5 (Atlus)
  • Horizon Zero Dawn (Guerrilla Games / Sony Interactive Entertainment)

Escolha da Mãe: The Legend of Zelda: Breath of the Wild
Vencedor: The Legend of Zelda: Breath of the Wild

Imagem de divulgação de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, que mostra Link escalando uma montanha.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo Independente

Que escolha difícil! Você sabe que o ano foi propício a jogos indie quando é mais difícil rankear os candidatos ao Melhor Independente do que os candidatos ao Jogo do Ano. Teve que ser por eliminação. Night in the Woods é um exemplo perfeito de como jogos podem servir de estudos profundos sobre depressão, ansiedade e as dificuldades da vida adulta; seu final, no entanto, deixa muito a desejar. Hellblade: Senua’s Sacrifice é uma experiência diferente de tudo o que já foi feito, porém suas mecânicas perdem o fator replay uma vez que seus segredos já foram descobertos. What Remains of Editch Finch é um dos melhores jogos narrativos já criados (e a Mãe até está devendo uma resenha para a Falange… antes do Ano Novo vamos resolver isso…), mas justamente por ser um jogo narrativo, acaba por limitar seu público potencial. Cuphead e Pyre. Os dois jogos possuem uma excelência rara em todos seus aspectos, e a Mãe só vai escolher Pyre porque essa é a única categoria em que é possível mostrar o quanto a Supergiant criou mais uma obra maravilhosa. Faltou uma merecida nomeação em Melhor Narrativa.

Jogos indicados:

Escolha da Mãe: Pyre
Vencedor: Cuphead

Imagem do jogo Pyre, da Supergiant Games, que mostra os três personagens iniciais da aventura.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo Independente de Estúdio Iniciante

Essa é uma categoria nova, que estreia no The Game Awards 2017. Mais uma prova de que jogos independentes ganham cada vez mais importância na indústria. Aqui, só podem competir jogos independentes de estúdios que nunca lançaram nada em sua existência. São os primeiros jogos independentes de estúdios novos, que já merecem toda a atenção de jogadores. Dois títulos, no entanto, se destacam além de quaisquer outros: Cuphead e Hollow Knight. E da mesma forma que com Pyre, a escolha da Mãe é por Hollow Knight, já que essa é a única chance de demonstrar o imenso carinho por um dos melhores títulos do ano, independentes ou não. Os outros candidatos, Golf Story, Slime Rancher e Mr. Shifty, também são excelentes, cada um da sua forma. E com o Natal chegando, seria ótimo se jogadores dessem mais atenção a títulos como esses.

Jogos indicados:

  • Slime Rancher (Monomi Park)
  • Mr. Shifty (Team Shifty)
  • Hollow Knight (Team Cherry)
  • Golf Story (Sidebar Games)
  • Cuphead (Studio MDHR)

Escolha da Mãe: Hollow Knight
Vencedor: Cuphead

Ilustração do jogo indie Cuphead, que usa uma estética de desenhos animados antigos para cria um jogo Run and Gun. A ilustração mostra os dois protagonistas: Cuphead e Mugman.

The Game Awards 2017 | Melhor Direção de Jogo

O prêmio para Melhor Direção é dado a um estúdio, ao invés de um jogo, e pretende valorizar uma empresa que dedicou seus recursos na construção de um jogo de excelência. Mais uma vez, a Nintendo está na disputa por dois de seus títulos, Zelda e Mario. E isso já é motivo suficiente para que a comunidade de jogadores reconheça sua importância. Até porque o prêmio de Jogo do Ano e o de Melhor Direção costumam premiar o mesmo jogo. A Sony, junto da Guerrilla Games, também concorre ao prêmio com Horizon Zero Dawn, a Capcom com Resident Evil 7 e a Bethesda junto da Machine Games por Wolfenstein II.

Jogos indicados:

  • Wolfenstein II (MachineGames / Bethesda)
  • Resident Evil 7: Biohazard (Capcom)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Horizon Zero Dawn (Guerrilla Games / Sony Interactive Entertainment)

Aposta da Mãe: The Legend of Zelda: Breath of the Wild
Vencedor: The Legend of Zelda: Breath of the Wild

The Game Awards 2017 | Melhor Narrativa

O prêmio de Melhor Narrativa considera a estória do jogo, independente de sua excelência, ou falta de excelência, em outros aspectos. Horizon Zero Dawn, com sua criativa forma de misturar tecnologia de ponta e uma vida humana tribal, disputa o terceiro prêmio da noite. Wolfenstein II também está no páreo, reimaginando o mundo dominado por nazistas depois da Segunda Guerra Mundial. Apesar de ser extremamente querido por fãs, a Mãe não acha que a vitória de NieR: Automata seria merecida. A narrativa é excelente, mas exige uma paciência de dezenas de horas do jogador para se revelar em toda sua magnitude, o que pode afastar muitos jogadores. Já What Remains of Edith Finch ganha uma merecida primeira indicação na noite, pela forma única com que conta a estória de uma família amaldiçoada e as desventuras de muitas gerações. Seria uma vitória justa, mas a aposta da Mãe é em Hellblade: Senua’s Sacrifice. O modo único como o jogo mistura realidade e fantasia, e aproxima a questão da doença mental de jogadores, faz com que a narrativa de Hellblade valha todo o imenso investimento da Ninja Theory. E a aposta em lançar o jogo de forma independente, acreditando em seu potencial, também deveria render algum mérito para a companhia.

Jogos indicados:

  • What Remains of Edith Finch (Giant Sparrow / Annapurna Interactive)
  • NieR: Automata (Platinum Games / Square Enix)
  • Hellblade: Senua’s Sacrifice (Ninja Theory)
  • Wolfenstein II (MachineGames / Bethesda)
  • Horizon Zero Dawn (Guerrilla Games / Sony Interactive Entertainment)

Escolha da Mãe: Hellblade: Senua’s Sacrifice
Vencedor: What Remains of Edith Finch

Imagem do jogo Hellblade: Senua's Sacrifice, da Ninja Theory, em que a protagonista feminina está de frente para uma árvore em chamas.

The Game Awards 2017 | Melhor Direção de Arte

O prêmio TEM QUE SER de Cuphead. Gráficos ultrarrealistas são bonitos, como de dois outros indicados, Destiny 2 e Horizon Zero Dawn. E a arte única de Breath of the Wild e Persona 5 também são excelentes. Mas não dá para competir com Cuphead quando se trata de Direção de Arte. O jogo simula, com perfeição, desenhos animados da década de 30, em toda a duração de sua gameplay. E isso é um feito monumental para uma equipe independente, e pequena. Cuphead merecia uma indicação a Jogo do Ano; na falta disso, a Melhor Direção de Arte tem que ir para o jogo.

Jogos indicados:

  • Destiny 2 (Bungie/Activision)
  • Cuphead (Studio MDHR)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Persona 5 (Atlus)
  • Horizon Zero Dawn (Guerrilla Games / Sony Interactive Entertainment)

Escolha da Mãe: Cuphead
Vencedor: Cuphead

The Game Awards 2017 | Melhor Trilha Sonora

A Melhor Trilha Sonora premia o conjunto de canções, originais ou não, utilizadas em um jogo. Todos os jogos dessa categoria têm outras indicações, o que inclui Breath of the Wild, Super Mario Odyssey, Persona 5, Destiny 2, Cuphead e NieR: Automata. A briga final deve ficar entre NieR e Cuphead. Apesar de uma direção de som ruim, as músicas de NieR realmente representam uma das melhores trilhas sonoras do ano. Porém, devido ao uso muitas vezes ruim dessa trilha sonora ao longo do jogo, Cuphead seria um candidato mais merecedor desse prêmio. Sua simulação perfeita da década de 30 passa também pela trilha sonora, e esse mérito precisa ser reconhecido.

Jogos indicados:

  • Destiny 2 (Bungie/Activision)
  • Cuphead (Studio MDHR)
  • NieR: Automata (Platinum Games / Square Enix)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Persona 5 (Atlus)

Escolha da Mãe: Cuphead
Vencedor: NieR: Automata

The Game Awards 2017 | Melhor Design de Som

O design de som é a parte da produção de um jogo que junta a esfera sonora à jogabilidade. Isso inclui músicas, barulhos, falas. Tudo deve estar sincronizado, e contribuir para a construção do mundo. De novo temos Mario e Zelda disputando o prêmio, dessa vez junto de Destiny 2 e Resident Evil 7. Resident Evil realmente faz um trabalho magnífico ao utilizar o som como fonte de medo, principalmente em um jogo em primeira pessoa, e adaptado para Realidade Virtual. Mas se Hellblade ganhar apenas um prêmio nessa noite, que seja esse. O uso de múltiplas vozes como simulação da esquizofrenia é um dos aspectos mais especiais de Hellblade, e jogar com fones torna a experiência ainda mais especial. É possível identificar cada ruído, e sua posição no espaço, de modo a sentir toda a pressão e ansiedade que a protagonista Senua sente.

Jogos indicados:

Escolha da Mãe: Hellblade: Senua’s Sacrifice
Vencedor: Hellblade: Senua’s Sacrifice

The Game Awards 2017 | Melhor Atuação

Desde que jogos começaram a contratar atores com frequência para captura de movimentos, dublagem e como guia de animações de personagens, foi criada uma categoria especial para a melhor atuação. Concorrem, então, atores responsáveis por dar vida a figuras marcantes nos jogos. Uncharted: The Lost Legacy, colocou duas atrizes na disputa: Laura Bailey, que interpreta Nadine Ross, e Claudia Black, que interpeta Chloe Frazer. O BJ Blazkowicz vivido por Brian Bloom, em Wolfenstein II, também recebeu uma merecida indicação. A disputa da noite, no entanto, deve ficar entre duas mulheres. Ashly Burch, a Aloy de Horizon Zero Dawn, e Melina Jurgens, a Senua de Hellblade. Nesse caso a escolha da Mãe vai para o papel mais desafiador: a esquizofrênica Senua.

Atrizes/atores indicados:

  • Melina Juergens, Hellblade como Senua
  • Laura Bailey, Uncharted: The Lost Legacy como Nadine Ross
  • Claudia Black, Uncharted: The Lost Legacy como Chloe Frazer
  • Brian Bloom, Wolfenstein II como BJ Blazkowicz
  • Ashly Burch, Horizon Zero Dawn como Aloy

Escolha da Mãe: Melina Jurgens, Hellblade como Senua
Vencedor: Melina Jurgens, Hellblade como Senua

The Game Awards 2017 | Jogos Impactantes (Games for Impact)

Seguindo a tendência contemporânea de se preocupar com a saúde mental como um problema social relevante, o The Game Awards criou uma categoria voltada para jogos que ajudam, de alguma forma, a compreender problemas mentais, lidar com questões emocionais, e chamar atenção para a forma única que pessoas diferentes têm de encarar a vida. É uma categoria louvável, que nesse ano inclui muitos títulos merecedores. Please Knock on My Door e Night in the Woods tratam de depressão, e da falta de sentido na vida. Bury Me, My Love e What Remains of Editch Finch falam da morte, da perda, e de como lidar com situações difíceis. Hellblade trata da esquizofrenia, e de como a sociedade lida com doenças mentais. Life is Strange: Before the Storm ganhou uma indicação sabe-se lá por que, já que o jogo é medíocre, no melhor dos casos. Essa foi uma das decisões mais difíceis da Mãe para o The Game Awards 2017. Mas como a ideia é conscientizar o maior número de pessoas quanto possível, Hellblade merece uma premiação, porque ao tratar da doença mental em um cenário que envolve vikings e mitologia nórdica, acaba por atingir um número de jogadores muito maior que outras produções.

Jogos indicados:

Escolha da Mãe: Hellblade: Senua’s Sacrifice
Vencedor: Hellblade: Senua’s Sacrifice

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo Mobile

A Mãe já falou antes: jogo é jogo, independente da plataforma. Smartphones de hoje possuem jogos mais complexos do que os primeiros videogames de mesa, e ainda existe gente que tenta minimizar jogos desenvolvidos para celulares. A Nintendo, mais uma vez, está investindo pesado em inovação, para mostrar que smartphones podem abrigar jogos fantásticos. E não existe muita dúvida quanto ao ganhador desse prêmio ser Super Mario Run. Mas a Nintendo tem outra indicação com Fire Emblem Heroes, e é maravilhoso ver um jogo independente tão fantástico como Old Man’s Journey ganhar algum destaque. Os outros dois competidores também vem do mundo indie: Monument Valley 2 e Hidden Folks.

Jogos indicados:

  • Fire Emblem Heroes (Intelligent Systems/Nintendo)
  • Super Mario Run (Nintendo)
  • Old Man’s Journey (Broken Rules)
  • Monument Valley 2 (ustwo games)
  • Hidden Folks (Adriaan de Jongh / Sylvain Tegroeg)

Escolha da Mãe: Super Mario Run
Vencedor: Monument Valley 2

Imagem do jogo Super Mario Run, da Nintendo, para smartphones. A imagem possui três telas de celular, cada uma com uma fase diferente do jogo.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo Portátil

Ao contrários dos jogos mobile, jogos portáteis são desenvolvidos para plataformas exclusivamente dedicadas a jogos. Como o Nintendo DS, lar de TODOS os indicados desse ano. Pocchy and Yoshi’s Wooly World merece o prêmio pelo seu visual único. Mas a Mãe gostaria muito de ver Metroid: Samus Returns ganhar um prêmio, como um dos melhores remakes já feitos pela indústria. Os outros candidatos são Monster Hunter Stories, Ever Oasis e Fire Emblem Echoes: Shadow of Valentia.

Jogos indicados:

  • Poochy and Yoshi’s Woolly World (Good-Feel / Nintendo)
  • Monster Hunter Stories (Marvelous / Nintendo)
  • Metroid: Samus Returns (MercurySteam / Nintendo)
  • Ever Oasis (Grezzo / Nintendo)
  • Fire Emblem Echoes: Shadow of Valentia (Intelligent Systems/Nintendo)

Escolha da Mãe: Metroid: Samus Returns
Vencedor: Metroid: Samus Returns

Imagem do jogo Metroid: Samus Returns, da Nintendo, que mostra a personagem Samus Aaran em sua armadura.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de Ação

Cuphead. Ponto. Não teve indicação a Jogo do Ano, mas merece ganhar algum prêmio de Melhor Alguma Coisa. Se bem que existem competidores de peso aqui, como Wolfenstein II e Nioh. Certamente escolhas mais óbvias para o prêmio. Até porque o público de jogos de ação imagina uma violência mais realista quando pensa no gênero. É uma aposta que a Mãe sabe que tem grande chances de perder, mas vai fazer por teimosia. Os outros títulos que foram indicados são Prey e Destiny 2.

Jogos indicados:

  • Prey (Arkane / Bethesda)
  • Nioh (Team Ninja / Sony Interactive Entertainment)
  • Destiny 2 (Bungie/Activision)
  • Cuphead (Studio MDHR)
  • Wolfenstein II (MachineGames / Bethesda)

Escolha da Mãe: Cuphead
Vencedor: Wonfenstein II

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de Ação/Aventura

Zelda, Mario e Horizon Zero Dawn de novo estão lado a lado na competição. As outras opções dessa categoria são Uncharted: The Lost Legacy e Assassin’s Creed: Origins. Se a Mãe apostou em Zelda como Jogo do Ano, com Mario logo atrás, não poderia escolher outra coisa aqui, não é?

Jogos indicados:

  • Uncharted: The Lost Legacy (Naughty Dog / Sony Interactive Ent)
  • Assassin’s Creed: Origins (Ubisoft Montreal / Ubisoft)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo EPD/Nintendo)
  • Horizon Zero Dawn (Guerrilla Games / Sony Interactive Entertainment)

Escolha da Mãe: The Legend of Zelda: Breath of the Wild
Vencedor: The Legend of Zelda: Breath of the Wild

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de RPG

Como a Mãe gostaria de ver um RPG que use peidos como armas ganhando um prêmio! South Park: The Fractured But Whole é a opção mais divertida das indicações. Mas Persona 5 deve levar o prêmio, com folga. Como RPG, é melhor do que South Park. E melhor também que os outros candidatos, apesar da excelência de todos: Final Fantasy XV, Divinity: Original Sin 2, e NieR: Automata.

Jogos indicados:

  • South Park: The Fractured But Whole (Ubisoft San Francisco / Ubisoft)
  • Final Fantasy XV (Square-Enix Business Division 2 / Square-Enix)
  • Divinity: Original Sin 2 (Larian Studios)
  • NieR: Automata (Platinum Games / Square Enix)
  • Persona 5 (Atlus)

Escolha da Mãe: Persona 5
Vencedor: Persona 5

Imagem oficial de divulgação de Persona 5

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de Luta

Injustice 2 retomou tudo o que fez do primeiro jogo da série um clássico nos videogames de luta e de super-heróis. É, provavelmente, a escolha mais óbvia da premiação. Mas a Mãe queria mesmo é que ARMS ganhasse, em nome da inovação. ARMS introduz um sistema de combate desengonçado e super divertido, que muda a perspectiva clássica de jogos de luta para se adequar mais aos controles móveis do Nintendo Switch. É ótimo também ver que Nidhogg 2, um indie ótimo para jogar com amigos do sofá de casa, também está competindo com gigantes do gênero, como Tekken 7 e Marvel vs Capcom: Infinite.

Jogos indicados:

  • Tekken 7 (Bandai Namco Studios / Bandai Namco Entertainment)
  • Nidhogg 2 (Messhof Games)
  • Marvel vs. Capcom: Infinite (Capcom)
  • Injustice 2 (NetherRealm Studios / Warner Bros. Interactive Ent)
  • ARMS (Nintendo EPD / Nintendo)

Escolha da Mãe: ARMS
Vencedor: Injustice 2

Imagem do jogo ARMS, da Nintendo, que mostra personagens boxeadores com mãos de molas.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo Para Família

Três vezes Mario: Super Mario Odyssey, Mario Kart 8 Deluxe, Mario + Rabbids Kingdom Battle. Mais uma vez a Nintendo mostra que colocou o Switch no mercado para ganhar. Splatoon 2 é outro jogo da categoria que vem da Nintendo. A única exceção, então, é Sonic Mania, o novo jogo do ouriço azul. Sonic que me desculpe, mas Mario sempre será o jogo mais clássico para famílias, e Super Mario Odyssey merece esse prêmio.

Jogos indicados:

  • Splatoon 2 (Nintendo EPD / Nintendo)
  • Sonic Mania (PagodaWest Games + Headcannon / Sega)
  • Mario + Rabbids Kingdom Battle (Ubisoft Paris + Milan / Ubisoft)
  • Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo EAD / Nintendo)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo EPD/Nintendo)

Escolha da Mãe: Super Mario Odyssey
Vencedor: Super Mario Odyssey

Imagem de divulgação de Super Mario Odyssey, do Nintendo Switch, que mostra Mario com seu chapéu vivo.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de Estratégia

A categoria apresenta competidores de peso, já clássicos no estilo, como Total War: Warhammer II, XCOM 2: War of the Chosen e Halo Wars 2. Mas também tem espaço para inovação aqui, com o indie Tooth and Tail e uma das maiores loucuras pensada pela Nintendo nos últimos anos, com a ajuda da Ubisoft: Mario + Rabbids Kingdom Battle. Pensar em como os elementos de plataforma de Mario podem se tornar elementos de estratégia, em um jogo extremamente divertido com coelhos lunáticos, é o que faz com que a Nintendo mereça mais um prêmio no The Game Awards 2017.

Jogos indicados:

  • XCOM 2: War of the Chosen (Firaxis Games / 2K)
  • Tooth and Tail (Pocketwatch Games)
  • Total War: Warhammer II (Creative Assembly / Sega)
  • Halo Wars 2 (Creative Assembly + 343 / Microsoft Studios)
  • Mario + Rabbids Kingdom Battle (Ubisoft Paris + Milan / Ubisoft)

Escolha da Mãe: Mario + Rabbids Kingdom Battle
Vencedor: Mario + Rabbids Kingdom Battle

Imagem do jogo Mario + Rabbids Kingdom Battle, da Ubisoft, que mostra o Mario e coelhos lunáticos disfaçados de Peach e Luigi.

The Game Awards 2017 | Outras Categorias

Aqui estão todas as categorias em que a Mãe encarna a Gloria Pires: não sou capaz de opinar. A Mãe não é uma grande jogadora de jogos online, nem acompanha a produção de jogos de esporte e de corrida. Como a categoria de Jogos em Continuação desse ano envolve apenas multiplayers online, a opinião da Mãe fica sem muita serventia. Se excluem também categorias ligadas a divulgadores, eSport e competidores. A Mãe também não está apta a julgar os melhores jogos chineses, ou aqueles desenvolvidos por estudantes e muitas vezes indisponíveis ao público. E não tem dinheiro para comprar equipamentos VR (alguém me patrocina, por favor!). Quanto à categoria de Jogo Mais Aguardado, irá depender também da base de fãs; e como isso muda de acordo com o número de jogadores por plataforma, é difícil prever o resultado.

Gif da Gloria Pires falando Não Sou Capaz de Opinar.

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo em Continuação

Jogos indicados:

  • Warframe (Digital Extremes)
  • Rainbow Six: Siege (Ubisoft Montreal / Ubisoft)
  • Overwatch (Blizzard)
  • Grand Theft Auto Online (Rockstar Games)
  • Destiny 2 (Bungie/Activision)
  • PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG Corp.)

Vencedor: Overwatch

The Game Awards 2017 | Melhor experiência VR/AR

Jogos indicados:

  • Superhot VR (SUPERHOT Team)
  • Star Trek: Bridge Crew (Red Storm Entertainment / Ubisoft)
  • Lone Echo / Echo Arena (Ready at Dawn / Oculus Studios)
  • Farpoint (Impuse Gear / Sony Interactive Entertainment)
  • Resident Evil 7: Biohazard (Capcom)

Vencedor: Resident Evil 7: Biohazard

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de Esportes/Corrida

Jogos indicados:

  • Project Cars 2 (Slightly Mad Studios / Bandai Namco Entertainment)
  • Pro Evolution Soccer 2018 (PES Productions / Konami)
  • NBA 2K18 (Visual Concepts / 2K Sports)
  • GT Sport (Polyphony Digital / Sony Intetactive Entertainment)
  • Forza Motorsport 7 (Turn 10 Studios / Microsoft Studios)
  • FIFA 18 (EA Vancouver / EA)

Vencedor: Forza Motorsport 7

The Game Awards 2017 | Melhor Multiplayer

Jogos indicados:

  • Fortnite (Epic Games)
  • Call of Duty: World War II (Sledgehammer Games / Activision)
  • Splatoon 2 (Nintendo EPD / Nintendo)
  • Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo EAD / Nintendo)
  • Destiny 2 (Bungie/Activision)
  • PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG Corp.)

Vencedor:

The Game Awards 2017 | Jogo Mais Antecipado

Jogos indicados:

  • The Last of Us Part II (Naughty Dog / Sony Interactive Ent.)
  • Red Dead Redemption II (Rockstar Games)
  • Monster Hunter: World (Capcom)
  • Marvel’s Spider-Man (Insomniac Games / Sony Interactive Ent.)
  • God of War (Santa Monica Studio / Sony Interactive Ent)

Vencedor: The Last of Us Part II

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de eSport

Jogos indicados:

  • Rocket League (Psyonix)
  • League of Legends (Riot)
  • DOTA2 (Valve)
  • Counter-Strike: Global Offensive (Valve)
  • Overwatch (Blizzard)

Vencedor: Overwatch

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo de Estudantes

Jogos indicados:

  • Meaning (Hariz Yet; DigiPen Institute of Technology Singapore)
  • Level Squared (Kip Brennan, Stephen Scoglio, Dane Perry Svendsen; Swinburne University of Technology)
  • Impulsion (Hugo Verger, Rémi Bertrand, Maxime Lupinski; IIM – Institut de l’Internet et du Multimédia)
  • Falling Sky (Jonathan Nielssen, Nikolay Savov, Mohsen Shah; National Film and Television School)
  • Hollowed (Erin Marek, Jerrick Flores, Charley Choucard; University of Central Florida – Florida Interactive Entertainment Academy)
  • From Light (Faffinabout; University of Southern California)

Vencedor: Level Squared

The Game Awards 2017 | Gamer do Ano

Gamers indicados:

  • Steven Spohn – AbleGamers
  • Mike Grzesiek – Shroud
  • Guy Beahm – Dr. Disrespect
  • Clint Lexa – “Halfcoordinated”
  • Andrea Rene – What’s Good Games

Vencedor: Guy Beahm – Dr. Disrespect

The Game Awards 2017 | Melhor Jogador de eSports

Jogadores indicados:

  • Kuro “KuroKy” Salehi Takhasomi – Team Liquid, DOTA 2
  • Je-hong “ryujehong” Ryu – Seoul Dynasty, Overwatch
  • Nikola ‘NiKo’ Kovac – FaZE Clan, Counter-Strike: GO
  • Marcelo ‘coldzera’ David – SK Gaming, Counter-Strike: GO
  • Lee sang-hyeok “Faker” – SK Telecom 1, League of Legends

Vencedor: Lee sang-hyeok “Faker”

The Game Awards 2017 | Melhor Time de eSports

Times indicados:

  • Team Liquid
  • SK Telecom 1
  • Lunatic-Hai
  • FaZe Clan
  • Cloud9

Vencedor: Cloud9

The Game Awards 2017 | Melhor Jogo Chinês

Jogos indicados:

  • Monument Valley 2(《纪念碑谷2》)(ustwo)
  • jx3 HD(《剑网3》重制版) (Kingsoft Corporation)
  • Gumballs(《不思议迷宫》)(QcPlay Limited)
  • ICEY(《艾希》)(FantaBlade Network)
  • King Of Glory(《王者荣耀》)(Timi Studio Group)

Vencedor: jx3 HD(《剑网3》重制版)