Falange Resenha | Serial Cleaner

0

Vinheta da Mãe SerpenteFalamos ontem sobre o resgate do cinema fora-da-lei da década de 1970 que Edgar Wright faz em Em Ritmo de Fuga (Baby Driver). Mas a Mãe tem mais o que falar da década de 70, dessa vez nos jogos. Se os filmes dessa época são uma boa representação do Estados Unidos, o país estava cheio de mafiosos e assassinos sem escrúpulos. Cadáveres se espalhavam pelas ruas. E, de alguma forma, a polícia sempre tinha dificuldade em capturar os responsáveis. Por quê? Esse é o conceito de Serial Cleaner, ou Faxineiro em Série, em uma tradução literal. Um dos jogos mais criativos do ano, que te coloca no controle de um homem responsável por esconder os corpos e recolher as evidências das cenas de crime.

Direto ao ponto

Depois de quase um ano disponível para acesso antecipado, Serial Cleaner teve sua versão definitiva lançada no dia 14 de junho. O tempo no acesso antecipado ajudou os desenvolvedores a testar e polir o jogo. A experiência final, assim, é fruto de um longo trabalho de tentativa e erro. Que deu certo. O conceito do jogo é extremamente interessante, e a simplicidade da jogabilidade é proporcional à curva de desafio crescente que Serial Cleaner proporciona.

Cada capítulo na estória do Faxineiro representa um Contrato. Esses contratos se passam em algum ponto da cidade, onde corpos, sangue e evidências estão espalhados. Policiais também rondam o lugar, na tentativa de proteger as provas. O Faxineiro, então, precisa carregar corpos e utilizar um aspirador especial para remover o sangue. Ser visto por um dos policiais faz com que, imediatamente, o Faxineiro comece a ser perseguido. A única salvação é encontrar rápido um esconderijo, já que os policiais são, em geral, mais rápidos que o Faxineiro. Por sorte, a polícia, como o jogo diz, é preguiçosa e corrupta demais para te tirar de seu esconderijo, e logo volta à sua patrulha normal.

Para se localizar no espaço, o Faxineiro conta com uma visão especial, capaz de enxergar todo o mapa da fase e destacar onde cada cadáver, objeto e esconderijo estão. Conforme as fases avançam, novos recursos são acrescentados, e o design de cada mapa se torna mais complexo. Em fases abertas, o carro do faxineiro é o local mais óbvio de levar os corpos; mas outras formas de esconder cadáveres incluem crocodilos e tanques de piranhas. Objetos sonoros também podem ser ativados para atrair a atenção dos policiais. Para compensar novos recursos, a polícia também melhora sua capacidade de agir, e começa a enviar agentes mais rápidos e atentos para os locais de crime. Dessa forma, com uma mesma mecânica central, o jogo sempre permanece interessante e desafiador.

Uma fase avançada de Serial Cleaner, da iFun4all, em que é possível ver o clima dos anos 70 e as mecânicas do jogo
A visão especial do Faxineiro é seu recurso mais valioso, pois permite avaliar a fase e planejar suas ações. Em vermelho, corpos, evidências e locais de despejo. Em amarelo, objetos móveis. Em verde, esconderijos e atalhos. Em roxo, fontes de som. PS: o nome dessa fase é ‘God of Thunder’. Isso, como a música do Kiss.

Variação e fator replay

A estória principal de Serial Cleaner inclui 20 contratos. Cada contrato, no entanto, possui um nível de variação que torna o jogo mais desafiador, e, ao mesmo tempo, faz com que rejogar a mesma fase obrigue o jogador a desenvolver estratégias diferentes. Primeiro, a posição de corpos, evidências e poças de sangue varia. Isso significa que, caso seja capturado e tenha que refazer uma fase, o jogador será obrigado a se adaptar aos novos detalhes da fase. Além disso, todo contrato possui uma versão diurna e outra noturna. E é o relógio do computador que decide se a fase será jogada de dia ou de noite, o que muda a estética de cada nível.

Cada fase principal de Serial Cleaner possui também um item secreto escondido. Ou uma revista de moda, ou um rolo de filme. Revistas de moda desbloqueiam novas roupas para o Faxineiro. Já os rolos de filme permitem ao jogador entrar em fases especiais, construídas em homenagem a clássicos do cinema da década de 70. São 10 fases cinematográficas diferentes, dos mais diferentes gêneros. Temos:

  1. Operação Dragão (Enter the Dragon, 1973)
  2. Monty Python em Busca do Cálice Sagrado (Monty Python and the Holy Grail, 1975)
  3. Taxi Driver (1976)
  4. Os Abutres Têm Fome (Two Mules for Sister Sara, 1970)
  5. Um Estranho no Ninho (One Flew Over the Cuckoo’s Nest, 1975)
  6. The Rocky Horror Picture Show (1975)
  7. Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971)
  8. Guerra nas Estrelas (Star Wars: Episode IV – A New Hope, 1977)
  9. Suspiria (1977)
  10. Alien – O Oitavo Passageiro (Alien, 1979)
Fase especial de Serial Cleaner, do estúdio iFun4all, baseada em Monty Python em Busca do Cálice Sagrado, ou Monty Python and the Holy Grail. Ni.
Sim, essa fase tem um texugo gigante de madeira. Também tem um coelho assassino sobre ossadas em uma caverna. E não faltam cavaleiros medievais esmagados por vacas. Se você não entendeu essas referências, vá agora assistir a ‘Monty Python em Busca do Cálice Sagrado’. Ou a Mãe vai dizer ‘Ni!’ para você.

Por fim, terminar a estória principal habilita desafios diferentes. Os desafios incluem remover a visualização do campo de visão dos policiais, aumentando a dificuldade do jogo. Ou fazer com que todos os contratos sejam jogados em preto e branco. Ou até jogar com um Faxineiro bêbado, com o cenário se movendo para representar os efeitos do álcool. O conteúdo disponível é vasto, e para aqueles que gostam de jogos stealth, Serial Cleaner é uma adição indispensável. Para quem não é fã do gênero, ainda assim o jogo é uma excelente adição, pois além de mecânicas sólidas e um alto fator replay, sua composição estética o destaca de outros jogos.

Serial Cleaner: De volta aos 70

Os gráficos de Serial Cleaner utilizam formas geométricas e cores chapadas para representar objetos, pessoas e cenários. O padrão de cores escolhido retoma diretamente o imaginário da década de 70, com tons pastéis misturados a cores vivas. A representação das personagens também utiliza elementos estéticos icônicos, como mullets, black powers, bigodes lustrosos e óculos escuros desnecessários por toda parte. Alguns policiais até mesmo carregam donnuts em suas mãos.

A trilha sonora, inspirada pelo jazz, relembra os seriados policiais da época. E cenas inteiras do jogo são extremamente semelhantes à abertura de Starsky & Hutch (1975 – 1979). Entre cada contrato, o jogador também pode andar livremente pela casa do Faxineiro, e interagir com objetos. O rádio, a televisão e o jornal servem para anunciar grandes eventos, como o caso Watergate e a queda de Nixon. Ou então para mostrar parte de um programa de auditório que discute se a música disco tem futuro ou não. Até mesmo protesto religiosos contra o heavy metal compõe o panorama cultural disponível nos pequenos detalhes de Serial Cleaner.

A casa do Faxineiro de Serial Cleaner, do estúdio iFun4all, no clima dos anos 70
A casa do Faxineiro. Fonte de dezenas de referências da década de 70.

O cuidado com a reprodução de uma década cheia de referências históricas e culturais destaca Serial Cleaner em meio a tantos outros jogos, independentes ou não. Jogadores mais velhos não podem deixar de sorrir ao chegar em uma cena de crime em um cinema e ver que o filme em cartaz é Tubarão (Jaws, 1975). Ou mesmo ouvir menções ao Assassino do Zodíaco. A união de suas escolhas estéticas, com uma jogabilidade precisa e simples, e um grande fator replay, é o que já colocou Serial Cleaner na lista dos melhores jogos que a Mãe conheceu em 2017.

Gameplay da Mãe | Serial Cleaner

Para entender o funcionamento do jogo, a Mãe preparou uma gameplay de seus primeiros 25 minutos. Você pode conferir as mecânicas iniciais do jogo, a trilha sonora e a arte de Serial Cleaner na gameplay da Mãe. E não deixe de se inscrever no canal de YouTube da Falange, para receber todas as novidades em primeira mão.